Alimentação Infantil

 

 

 

 Pirâmide Alimentar Infantil

Desde muito cedo os pais se preocupam com a alimentação dos filhos, isso não é diferente para nós da Escola Planeta Kids. 



As crianças que não se alimentam corretamente não crescem, não tem concentração para estudar e muito menos força para brincar. O ideal é buscar uma alimentação saudável, mas comer bem não quer dizer comer demais. Durante todo o dia, é essencial combinar os alimentos e ingerir de tudo um pouco. Uma alimentação completa significa uma dieta variada, rica nos mais diferentes nutrientes.

As fases da vida pré-escolar e escolar são excelentes momentos para uma orientação nutricional ativa e participativa, portanto, a alimentação deve ser saudável e adequada a cada uma destas fases, respeitando-se as características individuais, por isso nossa escola conta com a Nutricionista Naiara Alves para as refeições sejam adequadas nutricionalmente.

A pirâmide alimentar é um instrumento importante para orientação de pais, educadores e profissionais da área da saúde sobre a melhor forma de conduzir a alimentação infantil, servindo como guia para uma alimentação saudável. A divisão dos alimentos foi feita de forma balanceada e correta para nos auxiliar nessas escolhas. 

Pensando em ajudar as mamães, o Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria desenvolveu a Pirâmide dos Alimentos e com ela fica mais fácil saber quais alimentos precisam ser ingeridos em maior quantidade e os que precisam ser consumidos em menor quantia. Ela se divide em cinco níveis, sendo eles:

Primeiro nível: Grupo do Liquido: para repor as perdas durante as brincadeiras. Sucos, chás, água de coco, água são alguns exemplos.

Segundo nível: Grupo do arroz, pão, massa, batata, mandioca:constituído por cereais, tubérculos e raízes, fontes de carboidratos; contribui com a maior parte das calorias da dieta – 5 porções, sendo pelo menos uma de grãos integrais. 

Terceiro nível:Grupo das verduras e legumes e Grupo das frutas:fontes de vitaminas e minerais – 3 porções. 

Quarto nível: Grupo do leite, queijo e iogurte:fontes de proteínas, cálcio e vitaminas – 3 porções; Grupo das carnes e ovos:alimentos fontes de proteínas, ferro e vitaminas; inclui carne bovina e suína, aves, peixes e frutos do mar, vísceras e ovos – 2 porções; Grupo dos feijões: inclui feijão, soja, ervilha, grão de bico, fava e amendoim; alimentos fontes de proteína vegetal – 1 porção. 

 
Quinto nível: Grupo dos óleos e gorduras (margarina/manteiga, óleo) e Grupo dos açúcares e doces (doces, mel e açúcares): fontes de gorduras e carboidratos, respectivamente; os alimentos destes grupos devem ser consumidos com moderação, pois se encontram no topo e em todos os outros níveis da pirâmide, estando presentes na composição e preparação dos alimentos – 1 porção. 

 

Hábitos Alimentares

A formação dos hábitos alimentares é um processo que tem início desde o nascimento com as práticas alimentares introduzidas no primeiro ano de vida. Posteriormente vão sendo moldados, tendo como base as preferências individuais, as quais são determinadas geneticamente, pelas experiências positivas e negativas vividas com relação à alimentação, pela disponibilidade de alimentos dentro do domicílio, pelo nível sócio-econômico, pela influência da mídia, pelas necessidades fisiológicas, dentre outros fatores.

É durante a infância que as crianças se acostumam a consumir diversos tipos de alimentos e definem quais deles gostam ou não. É nesta época também que a criança começa a ser mais independente e a comer sozinha. Por ser uma fase de desenvolvimento, os pais têm grande responsabilidade e devem guiar seus caminhos, criando um ambiente para que a criança sinta prazer em consumir alimentos saudáveis.

          A melhor maneira de começar é dando o exemplo, é normal a criança rejeitar alguns alimentos e apresentar preferência por outros. Entretanto, os pais não devem ceder aos maus hábitos (e caprichos) e servir somente aqueles alimentos que a criança gosta. Principalmente na fase pré-escolar, as crianças tendem a imitar o que veem os adultos fazer. Se você disser pro seu filho comer fruta, mas não tiver este hábito, só vai confundir a cabeça dele.

A alimentação precisa ser variada e, mesmo que a criança rejeite até dez vezes um alimento, invista em diferentes preparações e monte pratos divertidos.

Para que as crianças gozem e tenham uma melhor saúde, é necessário que comam o suficiente e que a sua alimentação seja rica em hidratos de carbono (pão, arroz, batata, macarrão, dentre outros), contenha um terço de gorduras (azeite, castanhas, óleos, dentre outros) e que o resto seja coberto por proteínas (leite e derivados, carnes vermelha e branca). Além disso, é importante que a criança pratique alguma atividade física todos os dias, se possível.

A alimentação precisa ser livre de açúcares, gorduras “ruins” e muito sódio e pobre em frituras, alimentos gordurosos e alimentos com muita caloria vazia, ou seja, com baixo valor nutritivo, como por exemplo, os fast foods.

Deve-se dar preferência às preparações cozidas, assadas, grelhadas ou ensopadas. As refeições devem ser ricas em fibras acompanhadas do consumo de água ou sucos naturais, e não refrigerantes ou sucos industrializados. As sobremesas industrializadas podem ser substituídas por frutas, compotas, geléias, bolo de cenoura, de iogurte, etc. em vez de tortas e bolos recheados, carregados de chantilly, creme de leite e chocolate.

A alimentação escolar pode contribuir decisivamente para a melhoria das condições nutricionais de crianças e jovens, diminuindo deficiências nutricionais e outros agravos relacionados ao consumo alimentar inadequado, protegendo e melhorando significativamente o desempenho escolar, favorecendo crescimento e desenvolvimento adequados, além de representar um importante fator de desenvolvimento econômico local.

A escola pode ser considerada um espaço privilegiado para a promoção da saúde e desempenha papel fundamental na formação de valores, hábitos e estilos de vida, entre eles, o da alimentação, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis.

Visando a qualidade dos hábitos alimentares dos seus alunos a Planeta Kids conta com um cardápio elaborado semanalmente por uma nutricionista clinica, que busca sempre prezar pela alimentação saudável e adequada a cada fase de vida da criança.

 
O cardápio é disponibilizado semanalmente no mural da escola e no site da mesma. Os pais recebem diariamente o controle de alimentação da criança via agenda. As refeições são preparadas na escola, com muito amor e carinho e com técnicas adequadas de manuseio e preparo dos alimentos de acordo com as normas CVS6.  Contamos sempre com alimentos frescos e às vezes, plantados e colhidos pelas nossas crianças em nossa horta.

                                        
                                                                            Naiara Alves
                                                         Especialista em nutrição Clinica - CRN³ - 37431

 

Seguem abaixo algumas receitinhas para vocês....!

Falso Pão de Queijo

Ingredientes

4 batatas médias cozidas

2 ovos

2 xícaras(chá) polvilho doce

2 xícaras(chá) polvilho azedo

sal a gosto

2 col. de sopa de Linhaça

1/2 xícara(chá) de água

1/2 xícara(chá) de óleo de canola

 

Como fazer

1.  Esprema as batatas e coloque numa tigela adicione os ovos o polvilho doce e o polvilho azedo a linhaça e o sal.

2.  Ferva a água com o óleo e junte aos ingredientes da tigela.

3.  Misture bem até ficar homogênio.

4.  Enrole como pães de queijo.

5.  Coloque em assadeira.

6.  Leve ao forno médio pré-aquecido, até que estejam assados.

 

Bolo de Cenoura sem Glúten e sem Lactose

Ingredientes

3 cenouras médias raspadas e picadas

3 ovos

1 xícara de óleo

2 xícaras de açúcar

2 xícaras de farinha de arroz

1 col. de (sopa) fermento em pó

Manteiga para untar

Farinha de arroz para polvilhar

 

Como fazer

Bata no liquidificador todos os ingredientes acrescentando a farinha aos poucos.

Unte e enfarinhe a assadeira, despeje a massa, asse em forno médio preaquecido por 40 minutos.

 

Bolinho de chocolate sem glúten e sem lactose

Ingredientes

3 ovos;

1 xícara de açúcar;

1/2 xícara de óleo;

1/2 xícara de cacau em pó;

1 xícara de água morna;

1 xícara de farinha de arroz;

1 colher de (sopa) fermento químico.

  

Como fazer

Bata os ovos e o açúcar até formar um creme homogêneo. Acrescente o óleo e o cacau e bata até dissolver o pó. Junte a água morna e misture novamente.

Adicione então a farinha de arroz e misture mais uma vez. Por último coloque o fermento e então não use a batedeira.

 

Leve para o forno preaquecido a 180 graus por uns 15 minutos. Unte a assadeira com óleo e polvilhar um pouco de cacau para o bolo ficar pretinho.